7 PASSOS PARA ACERTAR EM CHEIO NA ESCOLHA DA ESCOLA DO SEU FILHO (A)

Por Tabata Martins, Coordenadora de Comunicação Estratégica da Rede Sagrado – CSCM, e Helena Maria de Almeida Ambrósio, Coordenadora Pedagógica do Ensino Fundamental I do CSCM-Vitória

A escolha da escola do seu filho (a) é um processo difícil, quando vocês, pais/responsáveis, ficam com muitas dúvidas. Afinal, o que desejam é que essa decisão seja assertiva e auxilie, de forma positiva, na educação e desenvolvimento dos estudantes, não é mesmo? Mas, se estão nessa fase e encontram dificuldades para tomar a decisão final sobre em qual colégio matricular seu filho (a), fiquem tranquilos! Esse post foi escrito, especialmente, para ajudar vocês nessa complexa etapa.

Pensando em dar dicas para vocês sobre como acertar em cheio na escolha da escola, entrevistamos Helena Maria de Almeida Ambrósio, Coordenadora Pedagógica do Ensino Fundamental I do Colégio Sagrado Coração de Maria Vitória.

Helena Maria , Coordenadora Pedagógica do Ensino Fundamental I do CSCM-Vitória

Para a educadora, formada em Pedagogia e especializada em Psicopedagogia, “a escolha da escola é uma das tarefas mais importantes e difíceis para os pais, pois é nela que as crianças e adolescentes passarão boa parte de seu tempo construindo conhecimentos, partilhando experiências, ampliando sua vida social”.

Com essa visão, Helena diz que “é preciso que essa escolha seja feita levando em conta alguns critérios, como a filosofia da escola, que deve estar alinhada com o perfil da família para que haja coerência e continuidade na formação da criança”. Além disso, ela ressalta que, “quando a família e a escola possuem visão de educação e de formação humana em comum, há garantias de uma educação de qualidade, pois o aprendizado será construído de maneira integrada, o que favorecerá os resultados esperados”, esclarece.

Aula para os alunos do Ensino Fundamental I do CSCM-Vitória

Quando questionada se, realmente, é possível fazer a escolha certa da escola ou se essa certeza só vem com a experiência, a pedagoga afirma que, “quando a família tem objetivos definidos, clareza quanto ao que espera da formação do filho (a) é possível sim fazer a escolha certa. Para isso, é preciso disponibilizar tempo para pesquisar suas opções e fazer sua escolha”.

Alunos da Educação Infantil interagindo com seus colegas

Já sobre quais são os principais fatores que devem ser levados em consideração pelos pais/responsáveis na hora da escolha da escola para seu filho (a), Helena cita 11, assim como explica a razão de cada ponto levantado por ela.

Confira:

1) Missão, visão e valores da escola: devem estar em sintonia com os valores da família.

2)Proposta pedagógica coerente e fundamentada na epistemologia.

3)Compromisso com o processo de aprendizagem dos alunos e não apenas com resultados.

4)Formação acadêmica e humana (aspecto cognitivo e social).

5)Qualificação dos profissionais (se a escola investe na formação de professores).

6)Proposta de avaliação que visa o processo de ensino e aprendizagem com diagnoses e intervenções diferenciadas.

7)Investimento no desenvolvimento do raciocínio, do pensamento criativo e do senso crítico.

8)Investimento tecnológico por parte da escola.

9)Propostas que objetivam a promoção da autonomia dos alunos.

10)Visão de disciplina da escola.

11)Infraestrutura da escola: biblioteca, laboratórios, quadras.

Aula para os alunos do Ensino Fundamental II do CSCM-Vitória

Além dessa verdadeira aula de como deve ser o processo de escolha da escola para seu filho (a), a profissional do CSCM-Vitória também nos deu a honra de compartilhar quais são os 7 passos que os pais/responsáveis devem seguir para fazer a escolha certa, sendo eles:

1)Ter clareza de suas expectativas em relação à formação da criança.

2)Procurar uma escola que possua os mesmos valores filosófico-educacionais.

3)Conhecer o Projeto Pedagógico da escola a partir de entrevista com a coordenação pedagógica, buscando esclarecer dúvidas.

4)Observar espaço físico da escola.

5)Conhecer a proposta de adaptação de alunos.

6)Conhecer as normas escolares (direitos e deveres do aluno).

7)Avaliar se a escola apresenta segurança para as crianças.

Alunos do Ensino Médio do CSCM-Vitória durante aula especial

E aí, gostou dessas valiosas dicas da educadora do CSCM-Vitória? Se sim, confira, abaixo, mais 2 preciosos conselhos que ela fez questão de dividir conosco:

1)Para acertar na escolha da escola dos filhos os pais devem selecionar as escolas mais coerentes com seus valores, verificando se proposta da escola atende à sua expectativa de formação em relação a seu filho.

2)Anote as perguntas que gostaria de fazer e, ao visitar a escola escolhida, procure solucionar todas as dúvidas. Pergunte sobre aspectos pedagógicos, culturais e sociais. Quanto mais informações sobre a escola você tiver, mais fácil será a decisão e, com certeza, com menor índice de erro. 

Clique aqui e conheça outras práticas pedagógicas, atividades e projetos significativos desenvolvidos pela Rede Sagrado

DECIDIR PELA ESCOLA ERRADA TRAZ CONSEQUÊNCIAS. CONFIRA 11 DICAS PARA NÃO CORRER ESSE RISCO!

Por Tabata Martins, Coordenadora de Comunicação Estratégica da Rede Sagrado – CSCM, e Luciene Vieira da Silva, Coordenadora Educacional do EF Anos Iniciais do CSCM-Brasília

Escolher onde seu (sua) filho (a) vai estudar não é uma tarefa nada fácil não é mesmo? Trata-se de uma decisão muito importante e que irá contribuir ou não para o crescimento e desenvolvimento dele (a). Por isso, se estiver passando por essa dificuldade, fique tranquilo (a)! Pois, este post foi escrito com a intenção de te ajudar nesse processo e, acima de tudo, te alertar sobre as consequências da escolha do colégio errado.

Com esse objetivo de auxílio e solução para o dilema que enfrenta hoje, entrevistamos Luciene Vieira da Silva, Coordenadora Educacional do Ensino Fundamental dos Anos Iniciais do Colégio Sagrado Coração de Maria Brasília. A educadora é formada em Pedagogia, com pós-graduada em Psicopedagogia Clínica e Institucional.

  Luciene Vieira da Silva, Coordenadora Educacional do EF dos Anos Iniciais do CSCM-Brasília

Ao ser questionada sobre o que a escolha errada do colégio pode acarretar aos estudantes e respectivas famílias, Luciene fez questão de, primeiramente, enfatizar que “escolher a escola envolve inúmeras variáveis”. Ela também  esclareceu que a decisão de onde matricular o aluno (a) deve ser tomada a partir de uma pesquisa das instituições e da observação dos pais sobre as características dos filhos. Nesse contexto, ela ressalta que as duas perguntas abaixo devem ser feitas pelos pais/responsáveis antes de qualquer escolha.

São elas:

1) Que tipo de escola/método de ensino é necessária para o meu filho (a)?

2)Quais os valores de família que não abrimos mão e que precisam estar alinhados com a escola que queremos para o nosso (a) filho (a)?

Dessa forma, para a nossa educadora, “escolher a escola certa é indispensável, uma vez que o alinhamento entre o perfil do estudante com o tipo de método de ensino e de ambiente oferecidos pela escola possibilitará melhor adaptação do aluno e da família e, consequentemente, contribuirá para melhor aprendizagem”.

Luciene ainda compartilhou que “a escolha errada é aquela que não consegue alinhar as necessidades do aluno (a) com o que a instituição pode oferecer”. Com essa explicação, ela citou um exemplo para seu melhor entendimento:

“a família que opta por uma escola de ensino tradicional e começa a questionar o método de ensino, o volume de atividades, o excesso de conteúdo, o excesso de atividades de casa, etc. Uma escola de metodologia tradicional jamais proporcionará práticas de ensino construtivistas e vice-versa. Esse desalinhamento entre as expectativas das famílias e o perfil do (a) estudante com o serviço que a escola oferece pode gerar conflitos entre a família e a escola. Nesse embate, o maior prejuízo é para o aluno (a), que fica nesse meio sem que as suas necessidades de aprendizagem sejam atendidas. Dessa forma, pode afetar o seu desempenho escolar. Assim, o aluno (a) pode passar a apresentar falta de motivação, problemas de socialização, baixo rendimento, enfim, afetar a sua aprendizagem e seu desenvolvimento. Portanto, se o filho (a) tem perfil para uma escola com metodologias de ensino construtivistas é lá que ele (a) deve ser matriculado e não numa escola de metodologia tradicional”

                       Alunos do Colégio Sagrado Coração de Maria Brasília durante interação

Já sobre quando indagada sobre se a escolha do colégio errado pode trazer prejuízos a curto e ou a longo prazo aos estudantes, Luciene respondeu, categoricamente, que sim! Para ela, essa decisão errônea “pode acarretar prejuízos a curto, médio e longo prazos. A curto prazo pode ser manifestado pela dificuldade de adaptação ao ambiente escolar e a médio prazo pode se manifestar por meio da desmotivação e desinteresse pela aprendizagem. A longo prazo pode ser identificado quando o aluno (a), pelo desinteresse, passa a negligenciar suas tarefas, não aprende e isso começa a afetar a sua autoestima. Nesse ciclo, ele (a) vai construindo uma percepção negativa da sua autoeficácia. Isso significa dizer que se o (a) estudante apresenta constantes fracassos nas suas experiências de aprendizagem e começa a se perceber como incapaz e as consequências podem ser danosas para o seu desenvolvimento uma vez que a tendência é a não aquisição de habilidades e competências que irão sustentar novas aprendizagens”.

                 Momento de brincadeira nas instalações do CSCM-Brasília

E, para finalizar com chave de ouro essa incrível entrevista, a educadora do CSCM-Brasília fez questão de dar 11 valiosas dicas pra vocês, pais/responsáveis, acertarem em cheio na escolha do melhor lugar para seus filhos (as) estudarem.

Confira, abaixo:

1) Tenha um olhar atento para saber se a proposta pedagógica da escola revela pressupostos didático-metodológicos que se adequam ao perfil de aprendizagem do estudante;

2) Observe os valores anunciados pela escola estão em sintonia com os valores da família – escola e a família valorizam, acolhem e incentivam a convivência harmônica entre as diferentes religiões, raças e classes sociais; não abrem mão do respeito às regras e normas de convivência, ambas concordam em contribuir para que o estudante, desde cedo, conviva com a pluralidade cultural, com a tolerância a quem pensa e age diferente;

3) Fique atento (a) se a forma de lidar com a disciplina está em sintonia com o tipo de disciplina aplicada em casa;

4) Analise se a formação é feita de maneira global, agregando conteúdos e valores e se a escola proporciona estratégias para tornar seus alunos autônomos e protagonistas.

5) Avalie se o espaço oferecido pela escola responde aos anseios da família: favorece a conivência coletiva, tem área verde, etc;

6) Averigue se a escola atende à logística da família, evitando, assim, que os filhos se cansem com longos percursos e que cheguem atrasados ou se sintam desestimulados para irem à escola;

7) Pergunte se a escola oferece atividades extracurriculares, se isso for importante para a família;

8) Analise se o valor da mensalidade cabe no orçamento familiar;

9) Certifique-se se a escola pretendida possui profissionais qualificados;

10) Verifique se as atividades de sala de aula e outras, como lição de casa, exploração do meio, organização de jogos, incentivo à leitura, promoção de debates, entre outros, correspondem às expectativas da família;

11) Confirme, ainda, como as crianças são avaliadas, como é feito o acompanhamento das crianças que tem dificuldades e como as crianças que têm um bom desempenho são validadas. Afinal, mesmo as crianças de bom patamar de desempenho também precisam de estímulos e de validação para continuar aprendendo.

                               Queridos já alunos do Colégio Sagrado Coração de Maria Brasília

E aí? Gostou dos conselhos da educadora do CSCM-Brasília? Se sim, comente e compartilhe esse post.

Clique aqui e conheça outras práticas pedagógicas, atividades e projetos significativos desenvolvidos pela Rede Sagrado

 

 

 

CONFIRA 10 DICAS PARA ACERTAR NA ESCOLHA DA ESCOLA E EDUCAÇÃO DO SEU FILHO (A)

Por Tabata Martins, Coordenadora de Comunicação Estratégica da Rede Sagrado – CSCM, e Daniela Afonso Chaves, CPG do CSCM-BH

“A escola tem fator fundamental no desenvolvimento das crianças e adolescentes. É nela que várias habilidades desenvolvidas, tendo em vista a instrução formal, serão trabalhadas. Portanto, a escolha da escola é essencial para o desenvolvimento”.

Com essa partilha de conhecimento por parte de Daniela Afonso Chaves, Coordenadora Pedagógica Geral (CPG) do Colégio Sagrado Coração de Maria Belo Horizonte, introduzimos esse post, que tem como principal objetivo informar vocês, pais/responsáveis, sobre como é possível sim acertar na escolha da escola do seu filho (a) e proporcionar a adequada educação e desenvolvimento para ele (a).

                        Daniela Afonso Chaves, Coordenadora Pedagógica Geral (CPG) do CSCM-BH

De acordo com a Pedagoga, que também é Especialista em Educação, Mestre em Educação, Professional & Self Coaching e Analista Comportamental, é preciso, primeiramente, que os responsáveis pelos estudantes saibam que a escolha da escola certa não é o único elemento auxiliador no desenvolvimento dos alunos. Para ela, “o estímulo da família e demais segmentos da sociedade também são fatores de sucesso para o desenvolvimento. Neste momento, a tão falada expressão ‘parceria escola-família’ se efetiva de forma evidente, já que o trabalho conjunto favorece a aquisição de competências importantes para a vida dos estudantes”.

Partilha de algumas atividades do CSCM-BH para pais/responsáveis durante processo seletivo

Durante entrevista exclusiva ao Blog da Rede Sagrado, Daniela compartilhou que, no momento da escolha ideal, “é essencial também conhecer a proposta pedagógica, que deve trabalhar na linha investigativa para que esse desenvolvimento aconteça de maneira global. Além disso, a educação integral, e não apenas academicista, contribui para a formação da criança e adolescente em todos os âmbitos. Assim como, o espaço físico da escola também revela a crença na proposta pedagógica firmada por ela. A escola deve conter espaços que favoreçam o desenvolvimento dos estudantes, além de estimular a independência, autonomia e prazer pelo aprender”.

                      Tecnologia Educacional -Atividade na lousa interativa do CSCM-BH

A educadora ressaltou ainda que a escolha da escola certa pelos pais/responsáveis é um ponto muito importante para o desenvolvimento dos estudantes. No entanto, ela pondera que essa relação não é determinante. Afinal, segundo Daniela, “o trabalho em conjunto – família e escola – é essencial para que o processo ocorra de forma efetiva”. Além disso, a CPG explica que as “habilidades específicas só poderão ser assimiladas e vivenciadas por meio da convivência familiar e social. É na convivência diária que as competências desenvolvidas também na escola são colocadas em ação”.

Pais/responsáveis e estudantes durante acolhida do processo seletivo no auditório do CSCM-BH

Já quando questionada se a escolha da escola deve ser feita pensando, exclusivamente, no desenvolvimento das crianças e adolescentes ou se existem outros fatores mais importantes a serem levados em consideração, Daniela argumenta que “é muito importante ressaltar a que se refere essa questão do desenvolvimento”.

De acordo com a CPG do CSCM-BH, “algumas escolas têm, em sua premissa pedagógica, o trabalho conceitual como base da sua proposta pedagógica. Essa escolha pedagógica pode garantir, algumas vezes, bons resultados acadêmicos, mas no geral não é garantia de sucesso no desenvolvimento integral”. Ela ainda esclarece que “o trabalho com outras vertentes, como a questão solidária, ambiental, etc, também é fundamental para a formação dos estudantes, não apenas o trabalho com habilidades conceituais específicas. Por isso, é imprescindível que as famílias façam uma visita à escola, conheçam o espaço físico dela, que também é muito importante para o processo de aprendizagem, e conversem com a equipe pedagógica para conhecer um pouco mais sobre a proposta pedagógica e se esta está de acordo com os valores praticados pela família”.

        Demonstração das diversificadas atividades do CSCM-BH aos pais/responsáveis

E aí, gostou dos valiosos esclarecimentos que a nossa querida Educadora do CSCM-BH nos deu sobre a relação da escolha do colégio certo para seu (sua) filho (a) e o desenvolvimento dele (a)? Aposto que sim! 😉

Mas, Daniela ainda fez questão de lhe dar 10 dicas imperdíveis de como vocês, pais/responsáveis, devem ter conhecimento para conseguirem alinhar, de forma correta, a escolha da escola certa e o desenvolvimento adequado das crianças e adolescentes.

Confira abaixo:

1) Elenque todas as qualidades, crenças e propostas que uma escola deve ter e que estão de acordo com os valores familiares.

2) Conheça a o espaço físico, a proposta pedagógica da escola e verifique se ela trabalha a educação integral, para além de apenas passar o conteúdo das aulas e cuidar da criança.

3) Verifique se a escola oferece cursos extracurriculares. Esse fator favorece a rotina e a logística das famílias.

4) Converse sobre a relação família/escola, como ocorre essa comunicação e se a escola preza por esse tipo de relação.

5) Para as crianças pequenas, pergunte à equipe pedagógica como é feito o processo de adaptação. Durante esse processo é essencial que a criança se sinta segura e acolhida.

6) Avalie a limpeza do local como um todo.

7) Converse sobre a formação dos professores, grau de escolaridade e a formação em serviço, já que os cursos de atualização são muito importantes para a melhoria no processo de ensino/aprendizagem.

8)  Questione a escola sobre quais materiais didáticos ela utiliza.

9) Verifique se a escola tem laboratórios. Aulas práticas despertam a curiosidade do aluno, desenvolvem habilidades investigativas e favorecem a aprendizagem.

10) Converse com a escola sobre o processo avaliativo utilizado bem como o trabalho em sala de aula que garanta a aprendizagem e o sucesso nesses instrumentos avaliativos.

Clique aqui e conheça outras práticas pedagógicas, atividades e projetos significativos desenvolvidos pela Rede Sagrado

 

APRENDA A AVALIAR SE UMA ESCOLA É BOA OU NÃO

Por Tabata Martins, Coordenadora de Comunicação Estratégica da Rede Sagrado – CSCM, e Maria Beatriz Silva, Assessora Pedagógica do CAEP

Como dizem por aí, o que é bom para você, pode não ser para o outro e vice e versa, não é mesmo? Mas, quando o assunto é a escolha da escola certa para seu filho (a), será que essa reflexão também é válida? Como saber julgar se uma instituição é boa ou não para as crianças e adolescentes?  O que precisa ser levado em consideração durante essa avaliação?

Para responder essas questões, entre outras comuns entre vocês, pais/responsáveis, esse post foi escrito, em parceria com Maria Beatriz Silva, Assessora Pedagógica do Centro Administrativo Educacional da Província (CAEP) – órgão responsável pela orientação pedagógica da Rede Sagrado – Colégios Sagrado Coração de Maria no Brasil – como entrevistada especial.

Maria Beatriz Silva – Assessora Pedagógica do Centro Administrativo Educacional da Província

Segunda a pedagoga mestre em Educação e pós-graduada em Metodologia do Ensino Superior e Neurociências, classificar algo como bom ou ruim é muito subjetivo. E, no caso do julgamento sobre uma escola, ela enfatiza que são muitas as variáveis que precisam ser consideradas e avaliadas. Para ela, por exemplo, “uma boa escola é aquela que dê a devida importância à educação, à formação integral de seus estudantes. Uma escola que, além de promover o desenvolvimento de habilidades cognitivas, se preocupe também com o desenvolvimento de habilidades atitudinais e procedimentais, que consiga fazer com que seus estudantes compreendam que aprender a aprender é essencial para garantir não só o próprio futuro, como também para construir as bases de uma sociedade mais aberta, mais cidadã, mais solidária e mais democrática”.

Já quando questionada sobre quais os diferenciais que uma escola precisa ter hoje em dia para ser considerada boa e, assim, capaz de enfrentar os desafios do século XXI, Maria Beatriz ressalta que a instituição necessita de “objetivos bem definidos e claros, além de ter consciência do seu papel na formação de um indivíduo e bases sólidas, acreditando no processo educativo e se fundamentando em princípios e valores insofismáveis. Afinal, em uma sociedade que anda tão carente de ética e de valores morais, o diferencial da escola será ajudar o indivíduo a desenvolver os seus talentos e a realizar o seu potencial de crescimento cognitivo, emocional, social, encaminhando-o para um percurso de aprendizagem ao longo da vida, garantindo um futuro mais equitativo para todos”, explicou.

Maria Beatriz possui vasta experiência profissional em todos os segmentos da Educação Básica, além de também já ter atuado em instituições de Ensino Superior como Assessora Pedagógica de cursos de graduação e professora de pós-graduação. Ao ser indagada sobre o que leva uma escola a ser classificada como boa no meio educacional, ela, primeiramente, reforçou que a “nota que uma instituição de ensino recebe no ENEM é significativa sim, mas não é, nem deve ser, o único indicativo de um padrão de qualidade”.

Conforme a educadora, “pesquisas realizadas por estudiosos da área indicam que escolas bem-sucedidas, em um mundo de crescente complexidade, são aquelas que conseguem desenvolver em seus estudantes a criatividade, a capacidade de pensar lateralmente, as competências transversais e a adaptabilidade. Se uma escola consegue ensinar seus estudantes a se autorregularem, a agirem com bom senso, autonomia, compaixão, solidariedade, justiça, integridade e equidade em todas as situações da vida, terá cumprido seu papel e, com certeza, será ‘boa’”.

Ainda levando em consideração a classificação de uma escola como boa, Maria Beatriz ressalta o que a Rede Sagrado – CSCM oferece para que as suas cinco Unidades corroborem para suas reflexões e crenças acima: “Nos dos colégios da Rede Sagrado temos como missão e visão preparar nossos estudantes para a vida, atuando como protagonistas da própria história, sempre em defesa de uma Vida plena para todos. Sabemos que o êxito de um indivíduo na sociedade atual requer a capacidade de continuar aprendendo de diferentes maneiras, indefinidamente, bem como a capacidade de adaptação rápida e eficiente a situações novas. Na Rede, consideramos que nossos estudantes precisam deixar a escola com as competências e a motivação para chamarem para si a responsabilidade sobre a própria aprendizagem. Trabalhamos para que desenvolvam autonomia, tenham visão empreendedora, sejam protagonistas e tornem-se cidadãos éticos e conscientes do seu papel na sociedade”.

Colégios Sagrado Coração de Maria – Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro, Ubá e Vitória

Por fim, Maria Beatriz fez questão de dar mais 2 valiosas dicas para que vocês, pais/responsáveis, façam julgamentos assertivos no momento da avaliação se a escola pretendida para seus filho (a) é boa ou não. Confira:

1) Escolha aquela escola que tenha posturas, práticas e valores iguais, ou muito similares, aos da família. De nada adiantará escolher uma escola com altos índices de aprovação em processos avaliativos externos, se a família não concordar com a forma como este objetivo é perseguido dentro da escola. Quanto menor for a distância entre os costumes e a cultura da família e os costumes e cultura da escola, melhor será para o processo de escolarização do estudante.

2) O relacionamento família / escola tem que ser pontuado pela confiança, pelas crenças comuns, pela transparência. O sucesso escolar é muito importante para um indivíduo, pois o que uma pessoa consegue alcançar na escolaridade obrigatória tem um impacto direto e significativo nas realizações profissionais posteriores, assim como na sociedade em que vive. Sendo assim, a parceria escola x família tem que ser coerente para que o estudante tenha uma base sólida e consistente.

E aí, gostou dos enriquecedores conselhos dados pela profissional do CAEP? Se sim, comente e compartilhe esse post.

Clique aqui e conheça outras práticas pedagógicas, atividades e projetos significativos desenvolvidos pela Rede Sagrado

13 RAZÕES PARA INVESTIR EM COACHING EDUCACIONAL

Por Daniela Afonso Chaves,  CPG do CSCM- BH, e adaptação de Isabella  Loureiro, Assessora de Comunicação da unidade.

Muito tem se falado sobre Coaching na atualidade e, especificamente no Brasil, ele está cada vez mais conhecido e sendo aplicado em diversas áreas. Mas afinal, você sabe o que é Coaching?

O Coaching é uma metodologia, uma ferramenta, que tem como missão principal ajudar as pessoas a avançarem em diversas áreas da vida, como pessoal, profissional, financeira, espiritual, dentre outras.

O processo é mediado por um profissional especialista – o coach – que estabelece uma relação de parceria com o seu cliente – o coachee – auxiliando-o na determinação dos seus objetivos em curto, médio e longo prazo e na realização de metas, visando alcançar resultados em curto prazo.

O primeiro passo do Coaching consiste em identificar o estado atual em que o coachee se encontra e estabelecer o estado desejado, aonde ele deseja chegar. Este processo tem o foco no futuro, com ações no presente, utilizando recursos do passado.

A metodologia utilizada no Coaching está baseada na filosofia Socrática de investigação. O coach instiga o coachee a verificar o que efetivamente está impedindo-o de ir atrás de seus objetivos e realizar suas metas. As respostas a esses questionamentos são dadas pelo cliente, que monitora seu processo verificando o progresso na busca por seus objetivos.

Um dos nichos de atuação do coach é a educação, área em que o trabalho com os estudantes, tendo em vista diversas temáticas, tende a ser bastante profícuo. Apresentamos, abaixo, alguns benefícios que o Coaching aplicado ao contexto educacional proporciona aos estudantes:

1) Auxilia na proposição e no alcance de objetivos e metas acadêmicas – claras, factíveis e mensuráveis;

2)Permite a identificação da melhor maneira pessoal para aprender;

3)Permite a identificação de características da personalidade;

4)Estimula o autoconhecimento, a motivação, o protagonismo juvenil, a autonomia e o sentimento de autoeficácia e autoconfiança;

5)Auxilia na identificação de crenças limitantes e de estratégias de superação de desafios;

6)Auxilia na administração e superação de conflitos;

7)Auxilia no planejamento e gerenciamento do tempo;

8)Auxilia o estudante a ter e a manter o foco em suas atividades e objetivos;

9)Auxilia no desenvolvimento de habilidades fundamentais para a autorregulação dos estudantes;

10)Ajuda o estudante a identificar a carreira que deseja seguir;

11)Quando realizado em grupo, estimula a reflexão conjunta e a sinergia no ambiente em que os estudantes atuam;

12)Favorece a formação humana e acadêmica, por meio do trabalho de temáticas importantes.

13)Promove melhorias nas relações pessoais e no desempenho acadêmico.

Em 2015, o Colégio Sagrado Coração de Maria – Belo Horizonte iniciou o trabalho de Coaching Educacional com estudantes do Ensino Médio, que se inseriu no contexto escolar como mais uma prática pedagógica inovadora e transformadora. Os resultados foram tão positivos, que a equipe pedagógica definiu por, novamente, realizar o processo de maneira formal, no segundo semestre de 2017, aos estudantes interessados.

Você, estudante, gostaria de vivenciar o Coaching Educacional? Você, pai, mãe, gostaria que seu(sua) filho(a) participasse dessa experiência?

Então, saiba um pouco mais e deixe o seu comentário, ao final.

FONTE: Artigo “Coaching Educacional”. Daniela Afonso Chaves. 2017.