Conscientização ambiental: o que você precisa saber sobre a Amazônia

por Natasha Franco – assessora de comunicação estratégica do Colégio Sagrado Coração de Maria do Rio de Janeiro

Recentemente, as medidas provisórias 756 e 758, editadas no fim de 2016, levaram a Amazônia de volta aos noticiários do mundo inteiro por ampliarem as possibilidades de exploração econômica em vastas áreas da região.

Conversamos com a professora e coordenadora da área de Ciências do Colégio Sagrado Coração de Maria – Rio de Janeiro, Mônica Coelho, para saber mais a respeito do assunto. Na entrevista a seguir, ela falou sobre o alto índice de queimadas, desmatamento, gases de efeito estufa, agronegócio, mudanças climáticas e muito mais! Vale a pena conferir.

É verdade que a Amazônia é o pulmão do mundo?

A visão de que a Amazônia é o pulmão do mundo é deturpada. Na verdade, a Amazônia é um patrimônio de biodiversidade do planeta. Com a exploração da Floresta Amazônica, não são apenas as plantas que correm perigo de extinção. É todo um patrimônio genético que está em risco. A Amazônia tem vastos recursos. Existem remédios que são produzidos para diferentes tipos de doenças, feitos a partir de substâncias retiradas de variadas espécies animais e vegetais locais. O bioma amazônico compreende ecossistemas estáveis que contemplam fauna, flora e clima próprio. É e é um bioma extremamente dependente da decomposição de vegetais e animais, pois seu solo não é rico em nutrientes. Quando o solo não é rico em nutrientes e sofre desmatamento em grandes proporções, o resultado encontrado pode ser um fenômeno chamado de desertificação.

O que precisa ser modificado para não chegarmos a esse ponto?

Além de ações políticas, é preciso mais seriedade na fiscalização. O IBAMA precisa ser mais rigoroso. O Brasil é um dos líderes no ranking mundial de queimadas. Atualmente, é o segundo colocado. Mesmo assim, estão ainda maiores as possibilidades de exploração econômica em vastas áreas da Amazônia. Infelizmente, há interesses que se baseiam na cultura imediatista e buscam incessantes vantagens econômicas sem pensar, ou balancear, os impactos negativos sofridos pelo meio ambiente. A região sofre com essa recente aprovação da expansão das fronteiras agrícolas. Está ainda maior o índice de desmatamento e queimadas, que liberam gases de efeito estufa. Estamos perdendo uma grande biodiversidade por conta do agronegócio como um todo, com atividades como o plantio de soja, criação de pastos e comércio de madeira.

imagem: Pixabay

Em suas aulas, você fala muito sobre evapotranspiração. O que é?

Os vegetais são importantes para a formação dos rios voadores, fenômeno conhecido como evapotranspiração. Isso acontece com a perda de água do ecossistema para a atmosfera, causada pela evaporação a partir do solo e pela transpiração das plantas. A água evapora e o vento espalha e desloca as nuvens para outras regiões. Por isso, a evapotranspiração influência e regula a temperatura de todo o país.

Como a Floresta Amazônica influencia esse fenômeno?

A gente tem esse clima mais ameno no Sudeste em função da Floresta Amazônica. Ela permite que o regime de chuvas aumente, o que é totalmente favorável. Ou seja, a Amazônia distribui essas nuvens para todo o Brasil. Se diminuir a quantidade de vegetais lá na Amazônia, a temperatura tende a subir em todo o território brasileiro. Como sabemos, a cada ano a temperatura aumenta.

imagem: Pixabay

Quais os efeitos do desmatamento na evapotranspiração?

Com um desmatamento muito forte, a evapotranspiração tende a não mais existir. Eu sempre digo: o termo aquecimento global está ficando ultrapassado. O ideal é utilizarmos a expressão mudanças climáticas porque não é somente a temperatura que está aumentando. O regime de chuvas foi alterado, as massas de ar também, a temperatura do oceano está aumentado e acidificando devido à elevada liberação de CO2, oriundo das queimadas do agronegócio, além de outros elementos químicos.

Como acontece a acidificação?

Quando o CO2 se junta com o H2O, o resultado encontrado é H2CO3, que é o ácido carbônico. Por isso, a atmosfera e o mar estão se acidificando. Importante destacarmos que as atividades individuais do ser humano têm sua parcela de culpa, mas os principais responsáveis pela poluição, pela produção de gás carbônico, metano e nitrogênio são as industrias de um modo geral, os carros e o agronegócio.

Há outros agravantes?

Não estamos queimando só árvores. Estamos queimando também plástico e outros elementos, que liberam enxofre.

O que podemos fazer para diminuir ou reverter esse quadro?

É preciso mais consciência. Eu sugeriria às pessoas procurarem por produtos de empresas que estejam preocupadas com o meio ambiente. Existe a necessidade de sermos verdadeiramente sensíveis em relação ao planeta e não apenas da boca para fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *