DestaqueSem categoria
É preciso falar sobre bullying

Postado em: 20 de setembro de 2021

A escola deve ser um ambiente seguro e confortável para jovens e crianças. É nela que os estudantes passam boa parte do tempo, convivendo com os colegas de turma, professores e funcionários.

Mas, infelizmente, o bullying é uma prática que acontece tanto na escola quanto fora dela, em grupos de amigos e, na maioria das vezes, é efetuada por adolescentes. Neste conteúdo, a Rede Sagrado aborda as principais questões que devem ser discutidas a respeito do tema e como os pais podem agir nessas situações. 

Continue a leitura!  

Definindo o Bullying

A palavra bullying tem origem na língua inglesa e o prefixo “bully” significa valentão. O sufixo “-ing”, acrescido de “bully-“, denota continuidade, constância, o que facilita a compreensão do termo.

A prática é caracterizada por constantes agressões, tanto físicas, verbais quanto psicológicas, incluindo a ocorrência das três juntas. Isso acontece quando um grupo humilha, xinga, expõe e agride um indivíduo. O bullying é um comportamento sistemático e constante e pode acontecer de diversas maneiras.

Por isso, é muito importante que os pais conheçam tais atitudes para que possam identificá-las: apelidos humilhantes, perseguição à vítima, humilhação diante de público, exposição do indivíduo por características físicas ou psicológicas, chegando, em diversos casos, a agressões físicas. 

Consequências do Bullying 

A prática do bullying traz à vítima diversas consequências, tanto físicas quanto psicológicas. Devido aos maus tratos e à exclusão, o indivíduo sofre um quadro de isolamento social que o leva a se enxergar como alguém estranho, que não faz parte daquele meio.

A partir daí, para escapar de problemas, a vítima tende a se afastar do meio, o que gera conflitos e dificuldades em desenvolver laços afetivos no ambiente social e familiar. 

Esse quadro de isolamento pode levar a danos psicológicos, como depressão, transtorno de ansiedade, síndrome do pânico e outros distúrbios graves, além de gerar traumas que podem acompanhar a vítima por toda a vida, se não tratados e resolvidos de maneira adequada.

Como os pais podem ajudar a combater o Bullying?

Os pais podem adotar hábitos e atitudes para estarem mais próximos e acompanharem melhor o cotidiano do(a) filho(a). Assim, poderão compreender o que acontece no dia a dia da criança ou do jovem. Confira alguns exemplos práticos: 

Diálogo e escuta – De forma leve, inicie uma conversa rotineira, perguntando sobre o dia na escola, os principais acontecimentos e, gradualmente, insira o assunto bullying. É necessário dar esse passo se você estiver envolvido no dia a dia da criança, prezando, acima de tudo, por um diálogo aberto e franco.

Acompanhe e demonstre interesse na rotina – Dificilmente você conseguirá saber o que acontece na vida escolar e social do seu filho sem conseguir acompanhar a rotina dele. Por isso, é muito importante estar presente, ir às reuniões com os educadores, acompanhar as lições e a vida estudantil e pessoal como um todo. 

Ensine reciprocidade e respeito – É fundamental que você observe mais o comportamento das crianças e jovens, questione atos que não são cordiais, abra um diálogo sobre respeito e empatia. Não deixe comportamentos maldosos se tornarem algo frequente. Ensinar reciprocidade e respeito é uma das principais formas de combater o bullying.

A participação dos pais e da escola é essencial para formar pessoas mais justas, empáticas e solidárias. A Rede Sagrado preza por uma formação humana, em defesa da vida!

Saiba mais sobre o colégio e os projetos inovadores da Rede Sagrado clicando aqui