DestaqueEducação InfantilEducacionalEnsino Fundamental IEnsino Fundamental II
Lições para criar meninos melhores para o mundo

Postado em: 13 de abril de 2022

Ser responsável por uma criança significa dedicar-se, prioritariamente, à educação e à saúde dela, oferecendo sempre as melhores oportunidades de desenvolvimento. Nesse processo, muitas vezes surgem situações que fazem o adulto refletir sobre as próprias criações e sobre o mundo em que vive.

Assim, é importante prestar atenção às mudanças da sociedade e nas necessidades atuais dos seres humanos, com o objetivo de criar pessoas capazes de contribuir para um mundo melhor. No caso dos meninos, especificamente, é importante preocupar-se com os comportamentos machistas e com os estereótipos masculinos, que prejudicam, não apenas a sociedade, como também os próprios meninos submetidos a ela.

Nesse post, a Rede Sagrado mostra como criar meninos melhores para o mundo, a partir de uma educação baseada em saúde emocional e respeito.

6 atitudes que contribuem para o desenvolvimento de homens melhores

Conheça, aqui, seis dicas que farão toda a diferença na criação de meninos com capacidade de expressão, de construir relacionamentos saudáveis e de sentir empatia. Confira!

  1. Estimule a demonstração de interesses e sentimentos

Sentir emoções como tristeza, medo, frustração e vergonha faz parte da vida. A necessidade de expressar esses sentimentos é normal, enquanto a repressão pode torná-los ainda mais intensos ou levar a outras emoções negativas, como a raiva e angústia.

Esconder os sentimentos a longo prazo pode trazer consequências, principalmente, para as relações interpessoais no futuro. Por isso, explique para o seu filho que demonstrar esses sentimentos não faz com que ele seja fraco ou medroso. É, também, por isso que expressões como “homem não chora”, e outras semelhantes, são prejudiciais à saúde emocional.

Além de evitar a repressão sentimental, permita ainda que ele seja livre para descobrir os próprios talentos e motivações. E, como o intuito de evitar brincadeiras sexistas, explique que a criança pode brincar com todos os tipos de brinquedos. Diferentemente dos adultos, as crianças não têm determinados preconceitos, o que as permite explorar o mundo de uma maneira única. 

Estimular que ele descubra os próprios interesses leva ao autoconhecimento e ao respeito pelos interesses alheios.

  1. Dê tarefas domésticas

Participar da limpeza e organização do lar desenvolve disciplina, responsabilidade e autonomia. Ter tarefas domésticas fixas, apropriadas para a idade, faz também com que seu filho torne-se um homem adulto capaz de cuidar da própria casa e que valorize esse trabalho quando realizado por outra pessoa.

Arrumar a cama, por exemplo, é uma tarefa simples que pode ser introduzida ainda na primeira infância, ajudando a contribuir com a organização da casa. 

No caso de irmãos, ensine que meninos e meninas utilizam o mesmo espaço dentro de casa e, portanto, devem ter as mesmas obrigações domésticas. A divisão desigual reforça um pensamento retrógrado de que o trabalho doméstico é exclusivamente feminino.

  1. Mostre que violência não combina com afeto

Oferecer carinho ao seu filho é uma forma de incentivá-lo a crescer com a capacidade de demonstrar sentimentos e ser afetuoso com quem ama. Assim, cafunés, colo, abraços, beijos e carinho devem fazer parte da rotina da família. 

Outra questão importante é eliminar a ideia de quando um menino implica com uma colega de escola é “porque na verdade gosta dela”. Nenhum tipo de violência ou bullying deve ser associado ao afeto. 

Incentive respeito, cuidado e honestidade, mostrando que o amor é algo positivo, que deve ser demonstrado também com ações positivas.

  1. Não cobre que ele seja bom em tudo

A competitividade em excesso pode ser prejudicial para a saúde emocional e pode criar meninos despreparados para a realidade da vida adulta. Errar, não saber e perder é normal, principalmente na infância. Eduque seu filho para fazer o melhor que puder, mas não exija que ele seja bom em tudo.

Lembre-se que cada criança deve ser respeitada na própria individualidade e, sobretudo, possui talentos específicos e aptidões diferentes. Dessa forma, é comum que cada ser destaque-se em atividades distintas.

  1. Muito diálogo

Conversar, compartilhar ideias, histórias e opiniões é muito importante para criar meninos que conseguem expressar-se e que têm empatia. Sentir-se ouvido, assim como escutar o que outros têm a dizer, é fundamental para desenvolver respeito, segurança e até gentileza na vida adulta.

Conversar em família, ter momentos de partilha, incluindo a participação das crianças faz com elas aprendam a interagir, dividir emoções e experiências. Oportunizar esses momentos, em casa, é fundamental.

  1. Conte com boas referências masculinas

Sabemos que bons modelos de conduta muitas vezes são tão poderosos quanto o diálogo no processo educativo. Por isso, cercar a criança de referências masculinas respeitosas e emocionalmente saudáveis é muito importante. 

A participação efetiva do pai na educação é de extrema importância, mesmo quando os pais são separados. Outras figuras que podem contribuir são o avô, os tios, os professores e os primos mais velhos.

Estas são dicas úteis que contribuem para a criação de filhos emocionalmente saudáveis e mais preparados para fortalecer a equidade de gênero na sociedade.

A educação baseada no respeito mútuo é o pilar central para criar homens responsáveis, justos, gentis e felizes. Com essas características, eles terão potencial para contribuir para um mundo melhor e também para livrar-se da masculinidade tóxica que ainda permeia a vida de muitos homens, trazendo consequências para as mulheres.

Você é responsável pela educação de um menino? Compartilhe esse post com outras famílias!