DestaqueEducação InfantilEducacionalEnsino Fundamental IEnsino Fundamental IIEnsino Médio
Redes sociais na adolescência

Postado em: 29 de março de 2022

De acordo com pesquisas, no Brasil há quase 25 milhões de pessoas entre 9 e 17 anos com acesso à internet. Entre elas, o percentual de uso das redes sociais é de 86%. Essa porcentagem é maior que a média geral da população, que gira em torno de 70%. Ou seja, entre as pessoas conectadas na internet, os mais jovens são os que mais utilizam as redes sociais.

Esses dados não são surpreendentes, mas demonstram que o acesso às redes sociais já é uma realidade para os adolescentes. Aos pais, cabe aceitar que os jovens desejam estar online e tentar protegê-los dos perigos das redes. 

Estamos falando de golpes, falta de censura, presença de criminosos e até danos à autoestima. Online, o jovem sem orientação corre muitos riscos. Por isso, os pais precisam ficar de olho. Confira nossas dicas para proteger os adolescentes em relação ao uso das redes sociais:

Como auxiliar os filhos na era digital?

Basta uma pesquisa rápida online para descobrir casos de adolescentes enganados por desconhecidos na internet ou com problemas psicológicos potencializados pelas redes. É um cenário preocupante para mães e pais, mas que pode ser controlado com diálogo e algumas regras. 

Conheça aqui nossas dicas para ajudar os adolescentes a usar a internet de forma saudável:

Converse!

O diálogo honesto é sempre o melhor recurso para pais preocupados. Converse com o adolescente sobre os riscos das redes, mas mostre que também entende a necessidade dele de estar online. Diga que confia nele, mas que as redes estão repletas de pessoas desconhecidas e de conteúdos inadequados para menores de idade.

É possível controlar o acesso à internet sem causar atrito com o adolescente e sem que ele prefira esconder seu comportamento da família. Esteja sempre com a porta aberta para dialogar, o jovem precisa estar confortável para compartilhar as angústias e alegrias que vive. Você pode se surpreender com o que seu filho está disposto a contar quando sente que não está sendo julgado.

Além disso, pare para refletir sobre o seu próprio uso da internet. Entenda que é difícil estabelecer limites se você mesmo usa o smartphone o tempo todo. 

Estabeleça a idade mínima

Você sabia que o Instagram, o TikTok, o Whatsapp, o Twitter e o Facebook exigem que seus usuários tenham no mínimo 13 anos de idade? Isso significa que as próprias plataformas percebem que os conteúdos podem não ser apropriados para pessoas mais jovens.

Além da idade em si, os responsáveis devem avaliar se o adolescente é uma pessoa responsável e se tem a maturidade necessária para usar as redes sociais. 

Leia o Guia para pais e responsáveis do TikTok

No caso do TikTok, sabemos que a quantidade de adolescentes e até crianças acessando a rede é imensa. Muitos usuários estão abaixo da idade recomendada, e por isso a própria plataforma criou um Guia para pais e responsáveis.

Além de dar algumas dicas de segurança, o Guia também ensina a vincular a conta do responsável à conta do menor de idade. Chamada de Sincronização Familiar, a configuração permite controlar recursos de privacidade, navegação e tempo de tela no app.

Determine horários offline

Converse com o adolescente e explique que as redes sociais não podem atrapalhar outras atividades. Por isso, em determinados momentos é necessário deixar o smartphone de lado e focar no mundo offline. É importante deixar essa regra clara desde a entrega do aparelho, ou assim que possível.

É o caso das horas de estudo, das refeições e do lazer em família, por exemplo. Ainda que muitas vezes a internet seja usada para estudar, esse não pode ser o único recurso do adolescente. 

Alerte sobre os perigos da internet

Mais uma vez, a comunicação é a chave para mostrar os riscos da internet. Em um diálogo transparente, diga que se preocupa com o adolescente e tente conscientizá-lo sobre as seguintes questões:

  • Não entrar em grupos que não sejam de amigos ou familiares
  • Preservar a própria intimidade
  • Não revelar dados pessoais, como endereço ou escola onde estuda
  • Não conversar com desconhecidos e jamais marcar encontros  
  • Explicar que pessoas mal intencionadas criam perfis falsos
  • Explicar os malefícios do cyberbullying
  • Mostrar que propagandas podem ser enganosas

Quais são as vantagens do uso de redes sociais?

Familiares e professores muitas vezes demonstram preocupação pelo uso intenso da tecnologia por parte das crianças e adolescentes. O que precisamos lembrar é que a internet possui sim muitos perigos, mas também possui benefícios para esses jovens.

As redes sociais são um potencializador dos vínculos de amizade, que permitem manter contato com amigos que se mudam para longe ou com quem você teve contato presencial poucas vezes, por exemplo. Elas permitem conexões com outras pessoas de interesses similares e por isso geram sensação de pertencimento e autoaceitação.

Outra questão importante é que a internet é uma valiosa fonte de informação. Por meio dela, é possível estudar a matéria da escola, buscar conhecimento sobre outros assuntos, atualizar-se sobre as notícias e adquirir cultura. Dessa forma, o adolescente amplia sua concepção de mundo e compreende que há outras realidades além da própria.

Esperamos que esse artigo ajude sua família a ter uma relação mais saudável com as redes sociais. Compartilhe esse conteúdo no seu perfil para que mais pessoas descubram como proteger adolescentes dos perigos das redes sociais!