9 dicas infalíveis para fazer do Blog da Rede Sagrado um sucesso!

Este é um post especial. Foi escrito pensando em compartilhar, com grande alegria, o lançamento oficial do Blog da Rede Sagrado. Aqui, é o espaço escolhido para dialogarmos sobre práticas pedagógicas, artigos e/ou dicas para uma educação de excelência.

Atualmente, o blog é uma ferramenta muito assertiva para o intercâmbio de informações e, cada vez mais, tem sido utilizado por educadores no âmbito do desejo da troca de conhecimentos entre professores e alunos e vice-versa.

Assim, nós, da Rede Sagrado – Colégios Sagrado Coração de Maria, não poderíamos ficar de fora. Não é mesmo?

O Blog da Rede Sagrado é um espaço democrático e aberto para a divulgação de diferentes aprendizados e práticas do nosso renomado corpo docente e respectivos alunos. Aqui, todos ligados à grande família Rede Sagrado tem voz e vez.

E, para marcar com chave de ouro a inauguração oficial do Blog da Rede Sagrado, oferecemos a vocês uma entrevista, exclusiva, com Sintian Schmidt.

Mas, quem é Sintian Schmidt?

   

Sintian, de 39 anos, é professora há 22, Mestre em Educação e Especialista em Informática Educativa. Desde 2000, a educadora pesquisa sobre as tecnologias na educação. E, atualmente, atua como vice-diretora e professora de Informática Educativa na Rede Municipal de Ensino de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. Ela ainda participa da formação continuada de professores na área da informática em diversos municípios gaúchos e, também desde 2000, trabalha com blogs educativos. Ou seja, são quase 17 anos de vasta experiência para compartilhar conosco. Que honra não?

Confira, abaixo, entrevista pingue-pongue com Sintian Schmidt. Ela nos presenteou com 9 dicas para, juntos, fazermos do Blog  da Rede Sagrado um sucesso!

1- Qual é sua experiência com blogs educativos?

Trabalho com blogs educativos desde 2000. Meu blog mais antigo no ar é o Bloguinfo (bloguinfo.blogspot.com), um registro pessoal do meu trabalho. Ele é meu portfólio, onde arquivo e compartilho meus trabalhos, estudos e descobertas. É o melhor retrato da minha trajetória, pois ilustra cada momento em suas diferentes perspectivas. Paralelamente, criei e administrei inúmeros blogs de escolas, cursos, projetos e trabalhos com estudantes dos anos iniciais ao ensino superior. Os blogs das minhas escolas, por exemplo, têm um caráter mais institucional, retratando um trabalho coletivo. Também costumo criar blogs para os cursos que dou. Estes têm data para começar e terminar, mas deixo o conteúdo online, pois sempre é útil para alguém.

2- Qual é a real importância do blog?

Blogs são excelentes recursos para publicação de conteúdo, um canal de comunicação eficiente capaz de transmitir informação com possibilidade de interação. Apesar dos avanços das redes sociais, os blogs se mantiveram como uma plataforma estável e segura. Percebemos que a informação foi ficando pulverizada nas mídias digitais, sendo compartilhada de forma superficial e fragmentada. Em um blog, podemos aprofundar um tema e uma discussão, agregar conteúdo e localizá-lo com facilidade posteriormente, além de poder integrar outros aplicativos e formatos digitais.

3- Qual é a eficiência da relação entre blog e educação?

Acredito que os blogs são excelentes recursos para a educação pela facilidade de criação, publicação e manutenção, além do alcance que tem nas mídias digitais. São bons para os professores que podem se conectar de uma forma simples com os jovens, por meio de uma linguagem acessível e multimídia, com grande alcance. São bons para os estudantes, pois são recursos que pertencem ao universo dos nativos digitais e se aproximam dos seus interesses.

4-Quais os primeiros passos para ter um blog de sucesso?

Primeiro é ter um objetivo bem claro: para que queremos um blog? Para divulgar notícias da escola? Projetos dos estudantes? Atividades dos professores? Novidades tecnológicas? Depois é definir um público: para quem vamos publicar? A partir disso, começa a produção de conteúdo multimídia interessante, sempre tendo em foco os interesses do seu público. Blogs educativos têm um público muito específico, diferente dos blogs de entretenimento. Por isso, considero importante encontrar um meio termo entre os objetivos educacionais e a linguagem e tendências digitais, adaptando-se as demandas atuais. Uma dica é agregar plataformas que os usuários costumam utilizar como o Facebook, YouTube, Twitter, Instagram, etc. As redes sociais são ótimos recursos para divulgar o conteúdo do blog, por exemplo.

5- Como deve ser o texto para blog?

Tudo depende do perfil do blog. Se for um espaço institucional, provavelmente, terá uma linguagem mais formal. No meu blog pessoal, o Bloguinfo, sempre escrevo pensando no leitor. Escrevo como se estivéssemos conversando e tento estabelecer um diálogo, mesmo que a distância. Gosto da sensação de imaginar que o leitor possa interagir com o texto, mesmo que virtualmente. Além disso, é importante incluir imagens, vídeos e outros recursos que possam ilustrar o conteúdo do post ou agregar informações em outros formatos.

6- Como deve ser a atualização de um blog?

Tudo depende do objetivo e do público que o blog vai atingir. Os jovens gostam de informações rápidas e objetivas, o que demanda publicações constantes, praticamente diárias. Eles também preferem posts curtos, com menos texto e mais ilustração, pois estão acostumados a linguagem vinculada às redes sociais. Vídeos são muito populares no momento e podem incrementar os conteúdos no blog. Já os professores preferem conteúdos mais elaborados, textos descritivos que expliquem e aprofundem as informações. Eles também gostam de acessar os conteúdos mais de uma vez, por isso é importante ter um acervo organizado e acessível.

7-Quais os tipos de posts que geram maior engajamento na área de educação?

Para os professores, posts com dicas de atividades, projetos e sugestões de trabalho. Os estudantes gostam de ver a divulgação dos seus trabalhos e participação em projetos e eventos da escola, principalmente, com fotos suas.

8-Já fez ou indica alguma pesquisa/experimento/estudo científico sobre blog?

Há muita pesquisa científica na edublogosfera brasileira. Participo de pesquisas desde o ano 2000. Em 2016 participei de um trabalho da professora doutora Ana Beatriz Gomes Pimenta de Carvalho (http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4797743D9) sobre blogs da educação. Também indico a tese de doutorado da Suzana Gutierrez, intitulada “Professores conectados : trabalho e educação nos espaços públicos em rede”, disponível em http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/28792.  A professora Marli Fiorentin também é referência nesta área, com inúmeros prêmios por seu excepcional trabalho com blogs na educação: http://blogosferamarli.blogspot.com.br/

9- Atualmente, os blogs estão voltando com tudo?

Sempre há uma nova tendência no uso da tecnologia. Foi assim com o Orkut, que foi substituído pelo Facebook, que vem, gradativamente, perdendo espaço para novas redes sociais. Durante este tempo, os blogs nunca deixaram de existir. Hoje, eles se destacam por serem um boa opção de plataforma de conteúdo, especialmente, pela facilidade de criação, publicação e manutenção. O diferencial é a integração das mídias: é necessário divulgar o conteúdo do blog em outras redes sociais, assim como explorar a linguagem multimídia. Também é importante lembrar que muitos usuários acessam conteúdo em seus dispositivos móveis, como celulares e tabletes. Logo, também é importante adequar o blog a estes dispositivos. E o principal: atender as demandas dos seus seguidores!

Clique aqui e conheça outras práticas pedagógicas, atividades e projetos significativos desenvolvidos pela Rede Sagrado

 

Ações sustentáveis são possíveis? Sim! Conheça o projeto “Cuidando da Casa Comum”

Você tem a real vontade de planejar e colocar em prática ações sustentáveis? Se sim, precisa conhecer o projeto “Cuidando da Casa Comum”, criado por quatro professoras do Colégio Sagrado Coração de Maria – Brasília – Fernanda Layse Ramos Aroucha, Ingred de Paiva Liberino, Maria Elisabete da Silva Szervinsk e Ciene Passos Soares.

3Alunos durante abertura do projeto

A intenção das educadoras é a de fazer com que os alunos, pais e toda a comunidade escolar compreendam que temos apenas este planeta para viver e que devemos cuidá-lo diariamente. Para isso, elas desenvolveram diversas atividades com a preocupação de aproximá-las ao máximo da realidade. Assim, assuntos como descarte do lixo, uso da água e energia elétrica e o desmatamento foram priorizados. A ideia foi criar um link entre esses assuntos e às disciplinas trabalhadas em sala de aula.

Uma das atividades realizadas foi pesquisa sobre os rios e riachos da região Centro-Oeste do Brasil. Desta forma, os alunos entenderam a importância da água para manutenção da vida no planeta, além de observarem o que está próximo a eles. Além disso, foi possível a reflexão e identificação dos lugares onde ocorre o desperdício. E, após essa etapa, os alunos ainda confeccionaram cartazes falando sobre a correta utilização da água nos lugares que frequentam.

1                                          Alunos apresentando os cartazes 

Já outra parte interessante do projeto foi a promoção da conscientização sobre o correto descarte dos resíduos e sobre a possibilidade de reutilizá-lo em algo útil. E, com base nesses diálogos, os próprios alunos propuseram a criação de brinquedos usando, exclusivamente, materiais recicláveis. Brinquedos esses que foram apresentados a integrantes de outro projeto, chamado “Convivendo”, quando foi construído um bilboquê também de materiais que pudessem ser reciclados.

4                                              Construção do bilboquê 

Em sala de aula, durante aulas de sustentabilidade, as educadoras ainda trataram sobre a crise ecológica que o nosso planeta atravessa. Em conjunto, pensaram em ideias para melhorá-lo e apresentaram uma sacola sustentável e o mascote do projeto aos alunos. Ambos são feitos de materiais reciclados, que foram enviados, diariamente, para uma família diferente.  E, a partir da vivência proporcionada pela sacola sustentável em família, os alunos fizeram mais cartazes, com dicas de como as pessoas podem fazer uso dos recursos naturais de forma mais consciente. Também foi produzido um mural, onde foi exposto o desenho das mãos dos estudantes, assim como registradas as atitudes sustentáveis propostas por eles.

2                                   Alunos  segurando a mascote do projeto

O projeto “Cuidando da Casa Comum”, ainda em andamento, foi celebrado durante a festa da família. No evento, várias receitas de bolo utilizando restos de alimentos que seriam jogados no lixo foram feitas e servidas. Todos adoraram e elogiaram a proposta.

Clique aqui e conheça outras práticas pedagógicas, atividades e projetos significativos desenvolvidos pela Rede Sagrado

Projeto “Café e Convescote literário”: Saiba como trazer a literatura para mais perto dos estudantes

Trazer a literatura para mais perto do dia a dia dos estudantes do Ensino Médio regular e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Esse é o principal objetivo do projeto “Café e Convescote literário”, de autoria de Bruna Gaio Nardi Pinheiro, professora de Língua Portuguesa e Literatura do Colégio Sagrado Coração de Maria – Rio de Janeiro.

2

Implantado há dois anos, o belo trabalho da educadora é dividido em duas etapas: a preparação e sua realização efetiva, sendo que as atividades desenvolvidas pelos alunos do EJA são intituladas de “Café literário” e as do Ensino Médio regular de “Convescote literário”.

1A ideia é que, primeiramente, todos os alunos elaborarem textos autorais sobre qualquer tema que desejarem. Em seguida, eles mostrem suas produções textuais ao professor responsável, dentro de um prazo determinado. Assim, há uma correção ortográfica e, posteriormente, devolução. Feito isso, cada estudante tem como dever de casa passar seu texto a limpo, além de digitá-lo e não identificá-lo com seu nome. Afinal, a intenção é que todos sejam lidos livremente durante um café, composto por alimentos e bebidas levados pelos próprios alunos. Uma espécie de “piquenique”.

Durante a confraternização, os estudantes fazem as leituras dos textos. No caso do EJA, as carteiras e cadeiras das salas são posicionadas em círculo para que todos possam ver e ouvir melhor. Já para as turmas do Ensino Médio regular esse momento é feito ao ar livre.

img_20150401_204029630_hdr-300x168Aleatoriamente, os textos são distribuídos pelo professor, mas tomando o cuidado para que ninguém fique com sua própria produção. Entre as obras literárias apresentadas também estão presentes textos de autores consagrados, mas sem a identificação. E, depois da leitura, alguns estudantes são convidados a falar sobre os textos apresentados, além de terem que tentar adivinhar de quem é a obra.  “O objetivo da atividade é o de levantar a autoestima daquele que tiver seu texto classificado pelos colegas como de autor famoso, assim como apresentar textos e autores até então desconhecidos para eles. A brincadeira do Café Literário acaba constituindo uma porta mágica de acesso a um mundo tão vasto e rico, como o da Literatura”, explica a professora Bruna, idealizadora do projeto.

A educadora também ressalta que, devido ao projeto, diversos estudantes passam a pesquisar, ler e escrever mais. Mas, para ela, a principal conquista é fazer com que os jovens “não vejam mais a Literatura como um bicho de sete cabeças, não tenham mais restrição ou bloqueios com a disciplina”.

Clique aqui e conheça outras práticas pedagógicas, atividades e projetos significativos desenvolvidos pela Rede Sagrado